terça-feira, 22 de maio de 2007

Efeito dominó

"Nada de novo no front, na retagarda também"

Não sou de escrever, mas já escrevi. Resolvi entrar na onda. Conversando com o Ryzzan, falei que não criava um blog por frescura. Ele me recomendou falar sobre minha frescura. Boa idéia! Lembrei-me de uns textos antigos, de uma fase problemática, a qual não via saída. Frescura pura. Pois bem, catei os textos e tá aqui. São textos da fase que venho superando. Sei que isto renderá muita conversa depois, ao menos contigo.

Megalomaníaco

Não, eu não te mereço
Esqueça minhas atuações
Não sou mais que um garoto travesso
Vivendo de ilusões

Um quixote moderno
Com mestres ao lado
Querendo ser eterno
Carregando nem um fardo

Mas agora estou cansado
De tristezas e decepções
Que a mim eu mesmo trago
Como uma norma que me impõe

Quando escolho o errado ao certo
Como um esperto enganado
Mal versado que sou, decerto
Mas nunca mal intencionado

Quero ser eu um rei
Conhecido por grande e sábio
Mas digo, na verdade sei
Riqueza não seria de meu agrado

Apenas reconhecimento
Do nobel somente o título
E obter o meu consentimento
Para me por ao lado dos que fui discípulo
----------------------------------
A seguir,uma peça que adaptei pra cá
EU, meu EGO, ID e a porra do SUPER EGO

Eu: Olá amiguinhos. Eu sou eu. Vocês sabem que eu sou. Apresento meus outros eu´s. Este é o Id:
Id: Qual é a boa?
Eu: Ele é um sádico. Adora me fazer sofrer.
Id: Ma-zo-quis-ta. Eu sou mazoquista. Se eu também sou tu e te faço sofrer, sou mazoquista.
Super-Ego: Cala a boca seu prolixo verborrágico!
Id: Olha quem fala!
Eu: Aquele é o Super-Ego. Ele é sábio, inteligente. Tem uma visão coerente da realidade, mas...
Super-Ego: Mas o quê?
Eu: Manda em porra nenhuma!
Id: (risos)
Super-Ego: Como assim?! Eu, você deveria se envergonhar! Te digo o que é certo! Se me levasses mais a sério não estarias no caos o qual te encontras.
Eu: É verdade. (triste)
Id: Ei! Ei! Super-Ego tu és um culhão mesmo! Eu, não é bem assim. Tu não fazes por mal. Tu só queres ser feliz, culto, inteligente, bonito, elegante, sábio...
Super-Ego: Id!!!
Ego: Calem-se!!! Eu não agüento mais!
Eu: Este é o Ego.
Ego: É... Humm.... Oi!
Eu: Eu não sei qual é a dele. Ouvi dizer que ele repara o Id.
Ego: É. Ele é um menino muito mal, precisa se educar.
Id: Cala a boca Ego!
Ego: Tá.
Eu: Sempre indeciso, vive sendo corrompido pelo Id e levando esporro do Super-Ego. Parece que ele tenta conter as vontades do Id. Mas então, qual seria o sentido da palavra egoísmo? Além do mais...
Super-Ego: Eu! Menos, menos. Acalma-te.
Id: Mas tu gostas de cortar meu barato...
Eu: Acho que ai é que está meu problema. Como o Ego faz nada, o Super-Ego ta fazendo o papel dele e do Ego. E isso gera estresse. Como o Super-Ego sabe de todas minhas falcatruas, ele usa o poder do Ego para me torturar depois. Não tem poder de decisão, mas tem poder de tortura.
Id: Isso mesmo! Falaste tudo, Eu. Depois! Depois que fizeste a cagada, por que antes quem manda sou eu!
Super Ego: Ora seu! Eu! Vou te dizer uma coisa, se continuares a dar papo pra esse cara tu vais acabar...
Id: Eu! Olha aquela gostosa ali!
Eu: Onde?
Super-Ego: Oh céus!
Ego: Isso já ta ficando chato.
Super-Ego: Mais ainda não falamos sobre sexo.
Id: Que sexo? Eu e o sexo! Ka – ka – ka! Estás lendo muito.
Super-Ego: Seu ignorante, não sabe o que fala.
Eu: É verdade. Lembro que quando eu era criança...
Todos: CALA A BOCA!!!
Eu: Ta. Acho que o Ego tem razão.
Id: É, já ta cansando. Tenho que ir dormir e bolar alguma maneira de nos fazer sofrer.
Super-Ego: Tsc, tsc. Vou ler mais.
Ego: (Com o dedo no nariz) É... hmm, tchau!
Eu: Bem, por hoje é só.

FIM


Eu: Cara! Consegui! Terminei minha historinha!
Id: Estou tão orgulhoso de mim!
Super-Ego: Pois não devia. Isto foi um ato vaidoso, típico de quem quer chamar atenção e escutar comentários do tipo: “Parabéns! Que legal”. Como é triste. Sabes que precisas disso.
Id: Acabou o discurso? Parabéns Eu! Ficou lindo e maravilhoso! Ego, não vai falar nada?
Ego: Eu devo?
Id: Claro! Foi uma vitória do Eu!
Super-Ego: Uma vitória suja.
Id: Vamos lá, Ego. O Eu consegui fazer uma coisa que planejara há semanas!
Ego: Como sabes que ele conseguiu? Neste momento são 24/06/2004, 03h45min da manhã e ele está terminando de escrever. Daí a ser publicado é uma outra história. Isso se ele não deixar de escrever e for pra cama sonhar como seria se tivesse feito.
Id: Xiiii, Ego. Resolvesse pensar agora? Acontece que eu, quer dizer o Eu... nós queremos isso!
(Todos se olham)
Id: Além do mais, tem alguém do outro lado lendo isto.
(Todos olham pra quem ta lendo)
Ego: Ih! É verdade!
Id: Digam oi meninos.
Ego: Oi!
Super-Ego: >:P
Ego: Ei! E se quem estiver lendo não gostou e ta achando tudo um saco?
(Eu entra em desespero)
Super Ego: Ego! O que você fez?
(Eu batendo a cabeça na parede)
Id: Boa Ego! Nem eu teria feito melhor (acende um cigarro)
(Eu se contorcendo todo)
Ego: Calma Eu, vai passar.
Super-Ego: Que vai passar. Bem feito! Agora ele toma consciência do que fez.
Eu: HÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!!
Super-Ego: Sinceramente, que ridículo! Tu és um bosta, um lunático!
Id: Ai que lindo! To adorando! Xinga mais seu puto, xinga!
Super-Ego: Ora seu verme!
(Super-Ego e Id se atracam. Ego, desesperado, corre de um lado para o outro sem saber o que fazer. Eu começa a arrancar seus cabelos)
Ego: Calma, Eu. Eles são teus amigos, no máximo falaram nada.
Id: Claro, se eles acharem ridículo falaram nada, ou então dirão que ficou legal só pra ti agradar.
Eu: HÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!!
Super-Ego: Que absurdo! Não seriam amigos se fizessem isso! Além do mais, tens que saber lidar com as críticas, nem tudo é como tu queres. Se não ficou legal, foda-se! Não tens obrigação de que isto fique bom.
Id: Mas pode ter ficado horrível! É possível! É possível! Na-ná-ná!
Ego: Cala a boca Id! Super-Ego, faz alguma coisa!
Super-Ego: Quem tem que fazer alguma coisa aqui é tu, eu só critico.
Id: Na-ná-ná! “Soy uno perdedor... I´m a loser baby, so why don´t you kill me”, “But I´m a creep, I´m a weirdo… What hell I´m doing here… I don´t belong here”, “Eu sou o resto, o resto do mundo, eu sou um mendigo, um indigente, um indigesto um vagabundo”.
Ego e Super-Ego: Chega!
(Os dois pegam o Id, dão muito soco nele e o amarram todo)
Id: Poxa! Vocês poderiam ter apertado mais, né? Ta frouxo no ombro esquerdo
(Os dois põe um pano na boca do Id)
Ego: Eu, você ta bem?
Eu: Mais calmo, acho.
Super-Ego: É sempre assim, sempre assim. Faz merda, surta, se recompõe e faz merda de novo.
Ego: Ei!
Eu: É verdade, o pior é que é verdade (Se levanta e vai dormir). Amanhã acordarei e parecerá que nada aconteceu. Super-Ego, vê se não me traz pesadelos.
Super-Ego: Ta, ta. Mas não mereces. Ei! Eu! Não vais tomar banho seu porco imundo?
(Id treme de medo)
Eu: Não...
(Id se alivia)
Eu: Ego, solta o Id pra ver se ele me traz um sonho bom.
(Id começa a desdenhar de todos)
Super-Ego: E lá vamos nós!

5 comentários:

Como Mulher Raivosa disse...

Daria sim uma ótima peça. Talvez tenhas que trabalhar mais o Super-Ego. O Id e o Ego estão indo bem em seus respectivos papéis, mas acho que o Super-Ego tá meio leve ainda, a ponto de causar os surtos. Tens que pensar em "verdades" mais "ensurdecedoras", catatônicas.

Gostei muito. Apresenta pra alguém do teatro depois de dares um fim não necessariamente trágico ao Eu (mas pode ser também - ele, o Eu, pode até se anular). Pode rolar um acordo entre Id e Super-Ego, ou uma revirada do Ego, ou qualquer outra coisa inesperada.

Beijos. Te amo.

Becky disse...

Eu faria um dos papéis..
:P

Te amo.

Amei a frescura do blog.

Fausto Suzuki disse...

Falta um Leone nisso tudo, eu acho.
O problema é que pra ele aparecer, teria de ter outra pessoa, que além do próprio...
Ai, me confundi todo.
auihaeuaeueauheauhaeuaehuaeh

argh, lemòn disse...

...genial, rola até um beck york na trilha sonora, lazer total.

Anônimo disse...

Cara maravilhosa sua peça, usei ela em um Seminário lá na Facul, eu e meus amigos da Equipe, resultado 10 ...Parabéns você é o cara .