sexta-feira, 25 de maio de 2007

Eu e as mulheres

"E você diz que tudo terminou mas qualquer um pode ver... só terminou pra você"

Aqui, de joelhos. Encharcado. Sinto um pingo d`água na minha boca. Chuva... não estou só. Do outro lado da rua ouço o tilintar de um mensageiro do vento.

- A caixinha!

Lembro-me de sua caixinha de música, no meu bolso. Herança de sua mãe.

- Ela vem voltar pra buscar!

Ou não. “Se eu conseguir te esquecer, esqueço tudo”. Suas últimas palavras. Até onde irá o tal desapego que ela tanto busca?

- Ela vem voltar!

Ou não. Pode ter deixado a caixinha como castigo. Ela sabe que eu não a jogaria fora.

- Merda!!! Por quê?!

Para cada pensamento positivo na minha cabeça, surge um negativo. Ai prevalece a impaciência.

- Vou devolver.

Seria humilhante. Tanto faz... Já fiz isso inúmeras vezes. Mais uma menos uma...

Toco a campainha.

- Oi.

- Tua caixinha.

- Por quê tu não esperaste eu ir buscar?

- Por quê, por quê... ah...

- É disso que eu falo. Segurança. Devolve-me.

Clack!

Porta na cara. E agora? Bato ou não bato...

4 comentários:

Lincoln disse...

bate na cara dela! ahuahuahuaa

não resisti.

me deu vontade de escrever um texto sobre eu e as mulheres também. cada vez mais me convenço que, por mais que elas digam o contrário, elas gostam mesmo é de um misógino. se eu escrever um textinho sobre eu e as mulheres, te mando. bjos, pequeno.

Como Mulher Raivosa disse...

Bate na tua cara, isso sim...

:P

Presta atenção, rapaz. Só é pra deixar pisar quando a foda já tá garantida.

Becky disse...

Derruba a porta e vai embora...


Amo-te!

Lincoln disse...

amo Mogwai. Amo amo amo!