quinta-feira, 25 de junho de 2009

Limite

Nossa visão é limitada. O infinito é um fato. Passo: um após outro. Se estamos no um, vemos até o nove, no dois, até o dez, no três, até o onze. O infinito é um fato. Nossa visão é limitada. Onde ouvi falar da nostalgia do futuro? Será Lobão? Conformação. É necessário se conformar de nosso limite se quisermos tomar conhecimento do que ainda não sabemos que existe.


Mas, apesar de tudo, sabemos tudo o que precisamos saber para caminhar:

Sabemos o que sabemos
Sabemos o que não sabemos
Não sabemos que sabemos algo
Não sabemos que não sabemos algo

Binário. Tudo se rezume a variações de zeros e uns, do ser e do não ser, ying e yang, vasco e flamengo, etc.

2 comentários:

lorena disse...

Ontem de madrugada tive esse pensamento: quero dar o teu nome a um filho meu. Porque, antes de mais nada, é um nome bonito, incomum, ambíguo. E depois porque a associação com tua pessoa é justamente o que eu queria dar a um filho meu. Acho difícil que isso mude. É arriscado nomear uma pessoa tendo outra em mente, pois se a imagem desta outra perecer, a que veio depois ficará marcada também. Mas no teu caso, hás de ser sempre algo bom e exemplar.

Não é uma promessa, mas é certamente um sentimento.

Jeremias Berdinazi disse...

Credo, colocar o vasco e flamengo no meio dos exemplos, destruiu todo o morro das palavras.
Pq o ser humano vÊ somente até 8 passos? :)
Mas que tudo se resume ao binário, eu tbm concordo.

---

Nossa... achei muito firme o depoimento da Lorena aí em cima... super legal. Level up!;)