quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Infinito

Dentro de cada um habita o infinito. Ai daquele que sabe disso.

8 comentários:

lorena disse...

Acabei de ver esse filme, "Fúria pela honra" ("Dark Matter" - tradutores de título arrasando, pra variar). É do caralho o filme, é sobre Dentro de cada um habita o infinito. Ai daquele que sabe disso.

Sei lá, só ando meio zonza, mas tá tudo bem.

Dany Neris disse...

Quando descobrimos isso, entramos em colapso, quando temos muito conhecimento perdemos a razão pela qual viver...
Todos buscam a felicidade no amor, mas pra entender a cabeça dos homens (ser), procuramos amadurecer a mente e os corações, se alcançarmos o fim do infinito, perberemos a paixão pela vida.
Se tivermos todas as respostas não teremos pelo que procurar...

Deu pra entender o raciocínio?

Dany Neris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ryzzan disse...

"Let it be" (e eu odeio Beatles). Mas, pra que confrontar o infinito? Inda diz-se que não existem razões para viver, quando na verdade são incontáveis que até perturba pensar a respeito. Então, "let ir be".

l.m. disse...

Sem golpes. Só excessos. Talvez coisas "realizadas" demais.

ryzzan disse...

Acho que tem muito de respeito, sabe? Se acabas exigindo muito de ti, se acabas não respeitando teus próprios defeitos, vai ser meio difícil lidar com o dos outros. Vais querer "saná-los". O que é grande prepotência, desde o instante que definiste um "defeito" (na maioria das vezes é puro capricho, de todos os envolvidos na trama). Daí, como amar?

Conceitos pré-estabelecidos, manutenção de ideais desnecessários, retórica. Tudo amarga.

É preciso ser leve. Rever-se, sim, de tempo em tempo. Definir-se, não.

E não existe "a mulher", não essa que vai atender aos teus caprichos. Lamento. Isso, tu quem tens que fazer por ela. E não me venha com papo de reciprocidade, porque daí a gente já perde o amor como foco. CEDA, e não reclame (muito). Isso tá parecendo papo pra mulher procurando "o príncipe". Tens que ser mais macho. :P

Te amo.

ryzzan disse...

Não te aturo. Eu te amo. E te amo poque te amo.

Todos os afagos egocêntricos eu já te dei, não vou me repetir. Te lembra aí, mané. :)

Dany Neris disse...

Talvez só tenhamos que apertar as cordas das violas.
Ou
Troca-las.

Uma hora acertamos a nota da canção.

Bjo.