sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O Irresponsável

"Sou meu próprio líder, ando em círculos, me equilibro entre dias e noites.
Minha vida toda espera algo de mim, meio sorriso meia lua toda tarde.
(...)
Chega, vou mudar a minha vida!
Deixa o copo enxer até a borda que eu quero um dia de sol no copo d´agua."

A montanha - Legião Urbana

O Irresponsável

Eu sou um círculo
De raio quase infinito
Vivo dentro de um cubículo
E sou maior que um monolito

No círculo há um local de conflito
Que é o início-fim do movimento
É este o ponto o qual habito
No qual "repousa" meu pensamento

Devido ao do raio alongamento
Os extremos são qual parto natural
Tão intensos que prazer e sofrimento
Me levam do paraíso ao inferno astral

Meio humano meio animal
Às vezes perco o vínculo
Para os outros isto é distúrbio moral
Irresponsável passa a ser o meu título

Insight:
A arte é a ciência da emoção

2 comentários:

lorena disse...

(estudante de Letras da USP mode on)

Este é superior a todos os poemas teus que já postaste aqui. As metáforas são perfeitas e as rimas não são idiotas (o mais difícil em rimar é fazer soar natural). Teu maior problema ainda é a métrica. Escrever versos do mesmo tamanho (com o mesmo número de sílabas) há mais de século que é dispensável, porém tu demonstras um princípio de vontade de escrever parnasianisticamente (já me disseste isso); então, precisas exercitar o uso de métrica, ou seja: lê pra caralho os poetas que escrevem assim (todos os brasileiros até antes do modernismo do início do século passado escreviam assim). E, depois de ler, exercita.

(estudante de Letras da USP mode off)

Do caralho o poema. Escreve e posta mais desses! E da próxima vez que quiseres comentar em anônimo não põe o teu email...

Jeremias Berdinazi disse...

A emoção é arte e por mais que alguns achem pela irresponsabilidade, outros sempre acham que isso é responsabilidade, por vocÊ saber o que está acontecendo e intervir da forma que lhe convém ser o melhor.
:)